Não tente mudar o outro; mude você!

Curiosidades do Turismo: Pedra da Eloquência (Irlanda)

Curiosidades do Turismo: Pedra da Eloquência (Irlanda)


Neste nosso mundão de Deus muitos são os lugares com histórias curiosas a serem contadas e que o Turismo abarca para si, trazendo visitantes de todos os cantos da Terra por conta de suas lendas e histórias. Um destes locais icônicos está na Irlanda, a apenas 8 km da cidade de Cork, no Castelo de Blarney e se chama de Pedra da Eloquência (ou pedra de Blarney).





Trata-se de um bloco de pedra calcária, colocada na torre da edificação e reza a lenda que todo aquele que beijá-la adquire a habilidade da conversação (ou o dom da eloquência), não faltando nunca mais palavras para o diálogo na vida. Tal história tornou o lugar extremamente popular, atraindo visitantes de todos os cantos do mundo, que vão ao local admirar a belíssima construção e seu entorno, além  de subir no castelo para beijar a pedra.


Várias histórias explicam a origem da lenda e a mais famosa envolve o construtor do castelo (Cormac McCarthy) e a deusa Clíodhna (mitologia irlandesa): estando ele envolvido em uma demanda judicial (século XV), apelou a intervenção da divindade. Atendendo aos seus apelos, ela lhe disse para beijar a primeira pedra que visse, na manhã seguinte, em seu caminho até o tribunal.


Ele assim o fez e durante a seção, argumentou de maneira muito eloquente, vencendo, assim, a disputa. Diante da vitória MacCarthy incorporou a pedra no parapeito do castelo e espalhou-se a notícia de que a Pedra de Blarney possuiria o dom do convencimento e a habilidade de ludibriar sem ofender.


 photo header-achados-natura-mobile_zpso6hf37f0.jpg 


Desde então, o ritual de beijar a pedra para adquirir tal dom se tornou uma tradição e, de acordo com os proprietários do castelo, o ato já foi e (continua sendo) realizado por milhões de pessoa, incluindo-se estadistas mundiais, grandes nomes da literatura e lendas do cinema.


Apesar da tradição, o beijo, não é tão simples de se fazer: para beijar a pedra, deve-se subir ao topo do castelo, voltando-se para trás na borda do parapeito. Na grande maioria das vezes, isto é feito com ajuda de um assistente. No passado, mesmo com o apoio de alguém para beijá-la, a atividade implicava no risco de morte e de ferimentos, uma vez que os participantes eram pegos pelos tornozelos e tinham o corpo balançando de grande altura.


Atualmente, o parapeito possui proteções na parte de baixo com barras de ferro forjado, mas, ainda assim, o ritual pode causar ataques de acrofobia (um medo extremo ou irracional de altura) ou momentos de grande estresse, por conta do posicionamento dos participantes e da altura que se vê ao ficar praticamente de cabeça para baixo no tradicional ato.


E não é só isso o que o lugar tem para oferecer: a construção medieval possui algumas salas e muralhas abertas para visitação e em torno do castelo há maravilhosos jardins, com flores, árvores e formações rochosas muito antigas, com nomes fantásticos, tais como Círculo Druid, Cave Bruxa e Escadaria de Wishing, entre outros. É um destino repleto de lendas e curiosidades que merece ser incluído no seu roteiro!


Querendo obter maiores informações sobre este e outros locais espetaculares, pode me perguntar que eu conto tudo! Ah, e precisando de agenciamento ou consultoria para sua viagem dos sonhos, pode me procurar por e-mail ou via WhatsApp. Comigo não há preocupações com roteiro, hospedagem, compra de passagens e outras questões burocráticas.... Pode acreditar: sai muito mais em conta do que se pode imaginar; entre em contato e faça seu orçamento. Viajar é meu mundo... Viajar é terapêutico!

Jansen Sarmento








Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário