Encontre aqui o seu hotel!

Booking.com

Salvador (Parte 1): o início de um caso de amor eterno!

Farol da Barra

Did you know banner BR Salvador foi minha primeira grande viagem e também meu debute no embarque em um avião... Fui para lá muito animado, para me encontrar com três amigos queridos, que já estavam na cidade, porém, estava cheio de ressalvas... Na época, o receio era mais do que justificável: este seria o meu primeiro destino do qual iria sem o abrigo da casa de alguém e o primeiro vislumbre do que é viajar sozinho... Ok, iria estar na companhia de pessoas amadas, mas, na ida e em determinados momentos não teria ninguém conhecido do meu lado... Até então, sempre viajei em bando, de maneira que, praticamente, nunca ficava sozinho. E, desta vez seria diferente: nada de um grupo fazendo bagunça, falando besteiras ou me fazendo companhia nesta nova experiência...

Havia, ainda, as questões dogmáticas e alguns pré-concebidas sobre a metrópole: estava indo para a capital do candomblé e do misticismo do Brasil... Iria me confrontar com muitas idéias e concepções que me foram adquiridas por conta da minha base religiosa... Sem contar outros amigos que já conheciam Salvador e me deram referências não muito agradáveis... Optei por esse roteiro por conta da euforia dos amigos que estariam lá na mesma época, mas, confesso que só parei para pensar nas consequências depois que fechei passagens e hospedagem... Mas, enfim, já estava tudo pago e não iria desistir! Portanto, lá estava eu impelido e desvendar os segredos da terra da magia...

                             Praia do Porto da Barra

Nesta minha primeira experiência para valer como viajante, não houve pesquisa ou tentativas de descobrir a cidade; nada disso! A intenção era somente acompanhar meus amigos, sentir o gostinho de andar de avião e usufruir, pela primeira vez, um passeio onde não teria que depender da casa de um parente, amigo ou conhecido para ficar em sua residência. Nada também de excursões em grupo! Era a primeira vez sozinho, por minha conta e risco... Seria também o primeiro encontro de amor com o hábito de viajar, que só viria a crescer, com o passar dos anos!

Meus amigos já estavam em Salvador, esperando por mim e teria, por muitas vezes suas companhias nesta minha estadia e isso me deixava mais tranquilo, dando-me a impressão de que seria um passeio do tipo excursão, onde o grupo não se separa. Mas, apesar do consolo deste pensamento pueril, o processo para me deslocar de casa até lá, seria todo meu! Mesmo louco para pôr meus pés em terras soteropolitanas, me sentia sozinho e inseguro com o que hoje sou tão familiarizado: chegar no aeroporto, fazer check-in, esperar o horário de viagem e sentir o prazer (ou desprazer - na época não sabia como seria... hehehe) de presenciar uma espaçonave tirar suas rodas do chão e alçar vôo...

                                 Beco da Off - Barra

O frio na barriga foi imenso, mas, a emoção foi grande e após duas horas de um vôo agradável, partindo do Rio de Janeiro, desembarquei em Salvador! Cheguei por volta de 23h e um pouco mais da meia noite já havia deixado as malas no hotel e me mandado para a rua... Fiquei hospedado no Porto da Barra, que em minha concepção é o melhor bairro para ficar na cidade, devido sua localização central, proximidade com o Pelourinho, Corredor da Vitória e bairros como a Barra, Ondina e Rio Vermelho... Sem contar na facilidade de deslocamento para outros bairros mais distantes...

Uma única noite foi o suficiente para o encantamento acontecer; amor à primeira vista! Salvador me arrebatou! A noite quente, porém refrescada pela brisa do mar, os batuques, a alegria do povo, a negritude escrachada e assumida, cheia de orgulho... A imponência do farol da Barra e as pedras encravadas no mar da região, adornando ainda mais a beleza daquele mar noturno que estava escancarado na minha cara... O primeiro encontro foi mágico e soou como música para os meus olhos e para os ouvidos também... Tudo que vi e ouvi me encantou! Quanta poesia, quanta beleza! Tudo isso em uma primeira noite...

                            A noite do Rio Vermelho

E tais emoções foram apenas um aperitivo do que vivi... Nesta minha estadia foram 12 dias incríveis, que serão devidamente relatados, juntamente com os demais retornos... E muitos verões vieram depois deste meu primeiro verão soteropolitano! Foram muitas idas e vindas, com o coração cada vez a pulsar mais forte ao longo destes oito anos... Vislumbrei mudanças, avanços, retrocessos, coisas boas e ruins também... Muita coisa tenho a dizer sobre a Cidade da Bahia e direi, mas, neste primeiro momento, necessitava expor abertamente a paixão escancarada que sinto pela Roma Negra!                           

É um amor e carinho profundo; uma história que parece não ter fim e a cada reencontro o amor só se consolida e se solidifica! Salvador é, para mim, a jóia mais rara do Nordeste! E, também, não é para menos: ela é cheia de nuances... É bela, poética, musical, sensual, original, mística, misteriosa, entre tantos outros adjetivos que puder lhe empregar ao seu favor! Lá descobri a força africana e entendi o porquê do orgulho do seu povo por sua cidade e sua história! Senti na pele como nunca um Brasil miscigenado, não só na sua raça e costumes, como também na religião... Ah, a beleza e poesia do candomblé, suas festas religiosas e, ao mesmo tempo profanas, o gingado do axé, o sotaque afro encravado por todos os lados e em cada esquina...

                        Acarajé da Dinha - O mais famoso de Salvador 

Em Salvador me despi dos rótulos, que até então fui levado a ter dela e me vesti de um novo olhar... Como aprendi e continuo a aprender, cada vez que piso nessa terra incrível! E, é por isso, que convido vocês a despirem-se de suas amarras e deixarem-se levar pela magia desse lugar hipnótico! Olhem-na sem os olhos do preconceito e venham comigo na minha viagem literária que pretendo fazer por ela! Tenho certeza que vocês vão gostar!
(Continua...)

Find-the-Perfect-Hotel 728x90                                                  Jansen Sarmento
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário